Em audiência, Semea apresenta projeto da Área de Proteção Ambiental do TimburiGoverno de Presidente Prudente
Presidente Prudente é bom viver aqui
Fale Conosco

RSS Notícias

Em audiência, Semea apresenta projeto da Área de Proteção Ambiental do Timburi

Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2019

Em audiência, Semea apresenta projeto da Área de Proteção Ambiental do Timburi

O Governo de Presidente Prudente, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, promoveu nesta sexta-feira (11/01) uma audiência pública para apresentação do Projeto de Lei que dispõe a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) do bairro rural Timburi.

O objetivo é garantir a proteção dos recursos bióticos (fauna e flora) ali existentes, além de garantir o uso sustentável dos recursos naturais, a preservação dos corpos hídricos e do solo.

Outro foco do projeto é preservar o valor histórico e cultural do Timburi. Estima-se que as primeiras famílias se instalaram naquela comunidade na década de 30, portanto há mais de 80 anos. Bastante frequentada por fiéis da Igreja Católica, o bairro rural é espaço para acampamentos, quermesses e outras atividades religiosas.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Wilson Portella Rodrigues, o público presente à audiência se mostrou amplamente favorável à proposta, que, em sendo aprovada, impedirá que alguma atividade danosa venha a se instalar no local. É válido lembrar que, em 2017, ventilou-se a possibilidade de uma empresa particular instalasse um aterro sanitário particular no Timburi, o que gerou uma grande mobilização contrária.

Participaram da audiência, ocorrida no plenário da Câmara Municipal, o titular da Semea, Wilson Portella Rodrigues, o promotor de Justiça Jurandir José dos Santos, o professor da FCT/ Unesp, Raul Guimarães, além do presidente da Câmara, Demerson Dias, vereadores Izaque Silva, Anderson Silva, Elza do Gás e Natanael Gonzaga, representantes do bairro rural, geógrafos, arquitetos e membros da sociedade civil.

“Como não houve nenhuma objeção ao texto, vamos devolver o PL ao prefeito, que dará a redação final e encaminhará para votação na Câmara”, explicou Portella.

Conforme o Ministério do Meio Ambiente, a APA é uma área geralmente extensa, com certo grau de ocupação humana, dotada de atributos abióticos, bióticos, estéticos ou culturais especialmente importantes para a qualidade de vida e o bem-estar das populações humanas, e tem como objetivos básicos proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais.

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação